República Checa - Czech Republic.

República Checa - Czech Republic.
República Checa - Praga sob a neve. / Czech Republic - Prague under snow. / République Tchèque - Prague sous la neige.

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

FORTE DAS CINCO PONTAS. - Museu da Cidade do Recife -


Entrada do Forte das Cinco Pontas - Museu da Cidade do Recife -

O Forte das Cinco Pontas (Vijfhoek) foi constuído pelos holandeses, em 1630, ainda em taipa, por ordem de Frederik Hendrik, Príncipe de Orange, Capitão-General e almirante-General de 5 das 7 Províncias Unidas dos Paises Baixos. Sua construção foi providenciada para garantir o suprimento d´água das cacimbas e poços de “Ambrósio Machado”, no Bairro de São José (único lugar no Recife, onde a água era potável), e também para impedir que barcos inimigos penetrassem pelas áreas baixas do Rio Capibaribe, em direção ao Sul do Recife, evitando que o açúcar fosse desviado através de uma passagem nos arrecifes, chamada “Barretas dos Afogados”.


Retrato de Frederick Hendrick.
 - Príncipe de Orange.-
Esta fortaleza teve, inicialmente, o nome de “Frederik Hendrik”, em homenagem ao Príncipe de Orange. O apelido “Cinco Pontas” é devido a sua forma original, Pentagonal (com cinco extremidades), em forma de estrela e mesmo após a reforma, quando se transformou numa estrutura de apenas quatro pontas, continuou a fortaleza sendo chamada pelo nome original de Cinco Pontas.

O Projeto de construção é atribuído ao Engenheiro Holandês Tobias Commersteijn e a Direção das Obras ficou por conta de Peter Van Buerer, de acordo com o melhor estilo de edificação Holandesa do século XVII. Foi definida a localização do Forte na margem do rio, para garantir o suprimento d´água, mantendo os poços, ao redor da edificação sempre cheios.

Antes de terminada a construção, o forte foi atacado, sem êxito, por forças locais, sob o comando de um dos grandes heróis da Insurreição Pernambucana, o Índio Felipe Camarão.

Príncipe Maurício de Nassau.
  
Em 1637, com a chegada do Príncipe Maurício de Nassau, expande-se o Recife na direção Sul e, próximo ao Forte das Cinco Pontas, o Governador do Brasil Holandês, constrói seu palácio de verão, aproximadamente ode hoje se situa a Basílica do Carmo entre o Forte das Cinco Pontas e o local onde hoje se situa a Igreja do Rosário dos Pretos.

Em 1654, as forças brasileiras e portuguesas, comandadas por André Vidal de Negreiros e pelo general Francisco Barreto de Menezes, finalmente derrotaram os holandeses e ocuparam o Forte das Cinco Pontas, tendo a rendição ocorrida na Campina do Taborda, porta Sul da cidade, nas imediações do Forte.

Em 1677 outro Herói, João Fernandes Vieira, construiu sobre suas ruínas , um Forte de Alvenaria com apenas 4 pontas. Seu nome foi mudado para Forte São Tiago, mas o povo da cidade, fiel a sua origem, logo o chamou de “São Tiago das Cinco Pontas”. Outras modificações vieram. Durante algum tempo, ali funcionou uma prisão e, mais tarde, o Quartel General Militar (1977). Foi também sede da SEPLAN da Presidência da república até 1981. Em 1982, passou a sediar o Museu da Cidade do Recife.

O Museu da Cidade do Recife.
Criado oficialmente em 1983, o Museu da Cidade do Recife, localizado no Forte das Cinco Pontas, é um dos nossos maiores patrimônios culturais da cidade. Seu considerável acervo é composto por documentos, imagens fotográficas e cartografia, conferindo-lhe um significativo papel na preservação da memória iconográfica do Recife.

O Museu também sintetiza outros papéis sócio-culturais: é um misto de história da cidade com o compromisso de resgatar a cultura Recifense. O Museu da Cidade do Recife incorpora o patrimônio imaterial do nosso povo ao acervo materializado através das mais variadas manifestações tão próprias da nossa cultura. Frevo, Maracatu, Cancioneiro Popular, Culinária, Artes Plásticas, Produção Teatral... No Museu, tudo se transforma em um maravilhoso e intangível território do povo e memória da Cidade do Recife.

Entrada do Forte das Cinco Pontas.
- Museu da Cidade do Recife. -
Em seu acervo, reproduções de mapas e cartografias holandesas; reproduções de cenas de Franz Post, mostrando o cotidiano da cidade e do povo durante o domínio holandês, fotografias antigas do Recife, retratando cenas antigas da vida da cidade, louças e azulejos portugueses, franceses entre outros fragmentos de antigas residências do Recife, além de canhões de diversas procedências e maquetes mostrando as várias tomadas pelo Forte das Cinco Pontas no decorrer de sua existência. A Divisão de Museologia e Iconografia disponibilizam cerca de cinqüenta mil imagens disponíveis para pesquisa e aproximadamente novecentos livros com literatura voltados a cidade do Recife.

Salas especiais abrigam acervos específicos, como a Sala José Antônio Gonçalves, apresentando uma visão panorâmica da importante produção do mestre pernambucano.
O auditório do Museu da Cidade do Recife está disponível para realização de seminários, fóruns, debates, simpósios e reuniões tanto particulares como oficiais.
Na Sala de Exposições Temporárias, mostras temáticas se sucedem, valorizando o nosso patrimônio, seja ele construído, natural ou imaterial e mostras fotográficas.
Por estas e outras razões o Forte da Cinco Pontas ocupa um lugar de destaque no cenário cultural e arquitetônico da Cidade do Recife.
Reprodução de dos mapas históricos da cidade do Recife 
com localização do Forte das Cinco Pontas.
Segunda representação de mapas históricos da Cidade do
Recife - logo na entrada no Forte das Cinco Pontas.

2 comentários:

  1. O forte é magnífico;e a história, nem se fala...

    ResponderExcluir
  2. é muito bom hoje eu fui e ve a bandeira ser queimada

    ResponderExcluir

Gostou? Deixe seu comentário. Obrigado.
Did you like it? Leave a comment. Thank You.
Vous L´aimez? Laissez un commentaire. Merci.
Ti piace? Lascia un commento. Grazie.
Pidät? Jätä kommentti. Kiitos.